quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

SUGESTÃO DE UM PROTOCOLO PARA QUEM PROCURA CENTRO ESPÍRITA - Por Nubor Orlando Facure


 


1 – O Espiritismo não tem como finalidade produzir milagres ou fenômenos extraordinários. Ele é uma Ciência que trata da natureza, origem e destino dos Espíritos, bem como de suas relações com o mundo corporal . Tornar-se espírita pressupõe-se seu estudo metódico e persistente das suas obras básicas codificadas por Allan Kardec.

2 – Nossos sofrimentos de hoje podem estar relacionados com nossos procedimentos em vidas anteriores e a atual encarnação é uma oportunidade abençoada de resgate dos nossos compromissos com o passado.

3 – Somos Almas em processo evolutivo e depende do nosso esforço pessoal o maior ou menor progresso em nossa evolução.

4 – O Espiritismo sugere para nossa melhoria pessoal a reforma íntima e a instrução sobre seus princípios doutrinários.


5 –Independente do grau de conhecimento ou experiência na doutrina espírita, é regra geral para todos, um código de conduta moral. 
6 - A Doutrina Espírita considera que a Humanidade recebeu nos ensinamentos e exemplos de Jesus nosso mais elevado roteiro de conduta moral.
7 – Somos todos Espíritos vivendo uma nova existência como encarnados. Estamos, por isso, sujeitos a vicissitudes tanto do mundo físico carnal como do mundo espiritual.
8 – Compreende-se, portanto, que devemos adotar métodos e cuidados preventivos tanto para as doenças físicas como as espirituais. Jesus nos instruiu a orar e a vigiar.





9 – Não devemos conviver com acusações que outros possam nos fazer, nem culpa que inadvertidamente podemos alimentar. Esses termos podem ser trocados por resgates e compromissos.
10 – Muitos sentem-se aliviados quando ouvem no Centro Espírita que seu problema é espiritual – é um engano achar que são os Espíritos os causadores do nosso sofrimento. Por princípio somos nós mesmos quem os atraímos nos cumpliciando ou endividando com eles 11 – O Centro Espírita não é um Hospital, mas, deve oferecer alívio a todos que sofrem do corpo ou da Alma 

12 – O Centro Espírita não é uma escola, mas, deve organizar seriamente o estudo sistematizado da Doutrina Espírita.
13 – O Centro Espírita não é uma organização de assistencialismo, mas, deve organizar para seus frequentadores a oportunidade do trabalho de caridade em benefício dos necessitados 14 – O Entrevistador ou qualquer membro do Centro Espírita que se envolver no tratamento dos sofredores encarnados ou desencarnados devem ter a humildade de se considerarem, também, em processo de tratamento, portanto, devem ser os primeiros a exemplificarem os códigos morais ensinados por Jesus.

15 – Diante de pessoas desequilibradas ou ansiosas, em pânico ou em depressão, com crise convulsivas ou histéricas é comum no Centro espírita o mesmo diagnóstico: é mediunidade você precisa se desenvolver, é “encosto”, ou obsessão. Esses diagnósticos gratuitos devem ser evitados. A orientação deve caminhar cautelosamente até que o tempo e a ajuda dos dirigentes mais experimentados possam concluir por uma definição mais clara para cada quadro.





Nubor Orlando Facure, é médico, neurologista, um dos mais premiados médicos do cérebro humano, é espírita, escritor, palestrante, durante 50 anos foi amigo pessoal e também médico de Chico Xavier, conviveu com os espíritas da história desta doutrina no Brasil e durante mais de meio século, é professor da vida, foi o primeiro médico a falar de espiritismo na Unicamp, é uma mente privilégiada, um dos seres humanos mais especiais que este editor conheceu, Facure tem para a Medicina, para o Espiritismo, contribuições, raras, teve contato via Chico Xavier com espíritos famosos, como Bezerra de Menezes, Emmanuel e André Luiz, viveu o milagre de Uberaba, relatos dados a este repórter que são de impressionar.(David Chinaglia, editor do blog)

sobre o texto e suas obras enviar se desejar e-mail para : lfacure@uol.com.br